Maserati Engine Lab: o novo Pólo de Motores da Maserati

Nettuno, o inovador motor do MC20, é o primeiro fruto do Maserati Engine Lab, estabelecido no seio da fábrica da Viale Ciro Menotti, em Modena. Nettuno, o motor de 6 cilindros biturbo do novo superdesportivo da marca do Trident, começou a ser concebido, experimentado e testado em Modena, nas instalações que são, agora, uma das jóias da coroa da empresa. Mais de 100 engenheiros, técnicos e operários qualificados são empregues, a tempo inteiro, não só nos notores de hoje, mas também nos conceitos elétricos do futuro.

A Maserati não produzia os seus próprios motores desde 1998, mas, com o MC20, volta a abraçar em elemento determinante da sua história. Em 2013, as novas estratégias da empresa aprovaram um plano de negócios que levou à criação do Polo de Motores em 2015. É, em parte, graças a estas instalações que a Maserati está a entrar numa nova era. Os investimentos previstos resultaram num centro de desenvolvimento e produção de motores que é, agora, um dos mais modernos do planeta, com equipamento sofisticado que supervisiona a vida de um motor, da conceção  à instalação no veículo, com todos os testes essenciais para certificação e verificação

O Maserati Engine Lab é composto por cinco áreas separadas: unidade de montagem; sala de testes; a oficina em que o motor é montado no automóvel; banco de emissões; e produção.

Quando um motor é concebido, tudo é adicionado a uma listagem de materiais em que consta tudo o que será utilizado na respetiva construção. Cada componente, e existem mais de 300 no Nettuno (o motor do MC20), é colocado num recipiente específico e selado, com várias camadas, que contém tudo o que é necessário para construir o motor, até ao mais pequeno parafuso. Este “carrinho” seque para a unidade de montagem, onde técnicos especializados montam cada motor à mão, com o auxílio de uma série de dispositivos especiais, concebidos durante as fases de desenvolvimento do motor. Cada otmor é, também, verificado através de instrumentos da maior precisão, para garantir a qualidade do produto final e uma manufatura irrepreensível. O trabalho é levado a cabo num local com ar condicionado com atmosfera controlada, em que a manutenção da qualidade do ar é fundamental porque mesmo as mais ínfimas partículas de pó poderiam afetar o funcionamento de componentes críticos, como o veio de transmissão, os pistões e as chumaceiras, os quais têm que suportar cargas e velocidades de rotação extremamente elevadas, combinadas com tolerâncias de montagem da ordem de poucos microns (1/5 da espessura de um cabelo humano). Quando o motor está completamente montado, é completado com os componentes auxiliares (gerador elétrico, compressor do ar condicionado e ligações sistema-automóvel), colocado num carrinho e transferido para a sala de testes. O Maserati Engine Lab conta com 5 salas de testes com dínamos aptos a testar motores com potências que vão de 440 cv a 1000 cv. Na prática, cada sala de testes é uma espécie de teatro de operações, onde o motor é colocado em funcionamento pela primeira vez. É um ambiente ideal, de um tipo que o motor nunca voltará a encontrar durante o seu período de vida – uma vez instalado no automóvel, cada condutor irá utilizá-lo de forma distinta. Na sala de testes, todos os motores são testados ao regime de ralenti, no máximo regime, seguindo uma rampa de aceleração, e simulando condução em declive, verificando dados de operação, como utilização do combustível e emissões.

Da sala de testes, o motor segue para o departamento de oficina, onde a transmissão e outros componentes (como o radiador, os escapes e o reservatório de óleo) são instalados antes deste ser montado no automóvel. O motor começa, agora, uma nova vida, sujeitando-se a novos testes, em banco de rolos e em estrada.

No Maserati Engine Lab temos a capacidade de testar automóveis com motores até 1000 cv e a velocidades de cerca de 300 km/h, uma hora antes das performances serem verificadas em pista. Podemos verificar o potencial do motor, da transmissão e dos sistemas auxiliares (sistemas de admissão, de escape, de combustível e alimentação, e de refrigeração). Os testes de certificação são também realizados no Maserati Engine Lab: demoram qualquer coisa como 200 horas, porque cada mercado requere 5/6 testes para certificação, e todos os testes são repetidos em todos os modos de utilização do modelo. E o que é mais, na Europa, desde setembro de 2017, os testes de estrada com o PEMS (Portable Emissions Measurement System – sistema portátil de emissões em estrada) também passaram a ser obrigatórios, bem com os testes já realizados em bancos de rolos. Estes testes demoram um par de horas cada qual, e, no final, envolvem, pelo menos, um mês de testes de estrada. O desenvolvimento de um motor requere entre seis meses e um ano na sala de testes: entre 400 e 600 horas nos bancos de rolos para verificar emissões e consumo de combustível. Quando todos estes passos estiverem completados, é tempo para a aprovação final para produção do motor que será instalado no automóvel.

Quando o desenvolvimento do novo motor está completo, tem início a produção propriamente dita, algo que, após um interregno de alguns anos, volta a ter lugar nas históricas instalações da Viale Ciro Menotti.  Uma linha de produção totalmente nova, com seis estações de montagem, foi criada para produzir o MC20. O processo de produção recorre a maquinaria altamente inovadora, mas tal não serve como substituto do conhecimento e da paixão de todo o pessoal de produção, sem o qual não teria sidpo possível produzir automóveis únicos, ricos em atributos personalizados desenvolvidos à medida dos requisitos dos clientes. No total, a produção de cada motor demora cerca de 25 de horas, um pouco mais de três dias de trabalho.

 
Mantenha-se atualizado
Por favor, garanta que todos os campos são corretamente preenchidos.
OS SEUS DETALHES PESSOAIS
*
*
*
*
PRIVACIDADE

Tendo lido e compreendido a Política de Privacidade da Maserati,

*
*
*
*
*
*
*

*
*Campo obrigatório